quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Lutenil 5 Mg 10 Cprs - Lutenil

Use os links abaixo para mais informações do medicamento

Lutenil 5 Mg 10 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/lutenil-5-mg-10-cprs/4294/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/lutenil.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do

Lutenil 5 Mg 14 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/lutenil-5-mg-14-cprs/4295/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/lutenil.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do



Informações
Lutenil é um progestágeno de síntese derivado da 19-nor-progesterona. Apresenta uma afinidade pelo receptor da progesterona duas vezes e meia superior ao da própria progesterona. É desprovido de atividade androgênica, anabolisante, estrogênica, corticosteróide e antiinflamatória; não interfere com o metabolismo dos glicídeos nem afeta o equilíbrio hidroeletrolítico ou o clearance da bromossufaleína (BSP). Administrado por via oral apresenta rápida absorção, atingindo concentração sérica máxima em 2 horas. Sua meia vida plasmática é de 30 horas, com ligação protéica de 97,7 +- 0,1%; sua eliminação é predominantemente por via intestinal.

Indicações
Distúrbios ginecológicos causados pela insuficiência luteal tais como alteração da menstruação ou dos ciclos menstruais (amenorréia secundária, espanomenorréia, menometrorragias, hemorragias uterinas funcionais, em particular durante o período da peri-menopausa), hiperplasia endometrial, dismenorréia, síndrome pré-menstrual, mastodinia. Tratamento da menopausa (em associação com os estrógenos e para contrabalançar seu efeito).

Contra Indicações
Hipersensibilidade aos componentes do produto. Durante os primeiros 4 meses da gestação, pelos riscos de ambigüidades sexuais, sobretudo no sexo masculino, já observados com o uso de progestágenos de síntese. Antecedentes tromboflebíticos. Alterações graves da função hepática.

Advertências
Em certas indicações, particularmente na dismenorréia, na hemorragia uterina e na amenorréia, é fundamental certificar-se da etiologia funcional da moléstia antes de iniciar o tratamento. Não devem ser totalmente descartados, apesar de não terem sido relatados até o momento, os riscos trombo-embólicos e metabólicos. Recomenda-se interromper a administração do produto se ocorrerem distúrbios oculares (perda da visão unilateral, diplopia, lesões vasculares da retina), acidentes tromboembólicos venosos e cefaléia. Administrar com cautela nos casos com antecedentes de infarto do miocárdio, distúrbios cérebro-vasculares, hipertensão arterial, diabetes e em lactantes, por causa da passagem dos esteróides ao leite materno.

Uso Na Gravidez
Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Interações Medicamentosas
Os indutores enzimáticos tais como anticonvulsivantes (carbamazepina, fenitoína, primidona), barbitúricos, griseofulvina, rifabutina e rifampicina podem reduzir a eficácia dos progestágenos por indução enzimática.

Reações Adversas
Modificações dos ciclos menstruais, amenorréia, sangramento intercorrente. Ganho de peso, insônia, pilificação, distúrbios gastrointestinais. Agravamento de insuficiência venosa dos membros inferiores. Icterícia colestática e prurido.

Posologia
Antes da menopausa, habitualmente 1 comprimido ao dia, por via oral, do 16º ao 25º dia do ciclo. Na menopausa, o tratamento será durante 12 a 14 dias por mês, em associação com um estrogênio. A posologia e a duração do tratamento poderão ser modificadas em função da natureza da indicação e da resposta ao tratamento.

Superdosagem
Na eventualidade da ingestão acidental de doses muito acima das preconizadas, recomenda-se adotar as medidas habituais de controle das funções vitais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário