quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Lisinopril + Hidroclorotiazida 20 + 12,5 Mg 30 Cprs - Lisinopril+hidroclorotiazida

Use os links abaixo para mais informações do medicamento

Lisinopril + Hidroclorotiazida 20 + 12,5 Mg 30 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/lisinopril-+-hidroclorotiazida-20-+-12,5-mg-30-cprs/15840/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/lisinopril+hidroclorotiazida.do
Laboratório: www.maispreco.com/generico/0/laboratorio.do



Informações
Ação esperada do medicamento: O lisinopril +hidroclorotiazida é uma associação de duassubstâncias que agem de forma a reduzir a pressãoarterial elevada. Sua ação anti-hipertensivageralmente dura 24 horas. A posologia adequadadeve ser recomendada pelo seu médico.Cuidados de armazenamento: Conservar emtemperatura ambiente (entre 15oC e 30oC). Protegerda luz e da umidade.Prazo de validade: Desde que respeitados oscuidados de armazenamento, o produto apresentauma validade de 24 meses a contar da datade sua fabricação. Não devem ser utilizadosprodutos fora do prazo de validade, pois podemtrazer prejuízos à saúde.Gravidez e lactação: Informe seu médico a ocorrênciade gravidez na vigência do tratamento ouapós o seu término. Informe seu médico se estiveramamentando.O uso de lisinopril + hidroclorotiazida durante agravidez não é recomendado.Este medicamento não deve ser utilizado pormulheres grávidas sem orientação médica.Informe imediatamente seu médico em casode suspeita de gravidez.Cuidados de administração: Siga a orientaçãodo seu médico, respeitando sempre os horários,as doses e a duração do tratamento.Interrupção do tratamento: Não interromper otratamento sem o conhecimento do seu médico.Reações adversas: Informe seu médico o aparecimentode reações desagradáveis. Com o usode lisinopril/hidroclorotiazida podem ocorrer tonturas,cefaléia e tosse seca.TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDOFORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.Ingestão concomitante com outras substâncias: O médico deve ter conhecimento da medicaçãoque o paciente estiver tomando.Contra-indicações e precauções: As contraindicaçõespara o uso de lisinopril + hidroclorotiazidasão: anúria e hipersensibilidade a qualquercomponente do produto ou drogas derivadas dassulfonamidas.Informe seu médico sobre qualquer medicamentoque esteja usando, antes do início, ou durante otratamento.NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTODO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSOPARA A SAÚDE.

Indicações
O lisinopril + hidroclorotiazida é indicado para otratamento de hipertensão essencial em pacientespara os quais a terapia combinada seja apropriada.

Contra Indicações
Anúria Contra-indicado em pacientes que sejam hipersensíveis a qualquer de seus componentes, em pacientes com história de edema angioneurótico relacionado a tratamento anterior com inibidor da enzima de conversão da angiotensina e em pacientes com angioedema idiopático ou hereditário. -·Hipersensibilidade a outras drogas derivadas das sulfonamidas.

Advertências
Hipotensão e DesequilíbrioHidroeletrolíticoComo em todos os tratamentos anti-hipertensivos,pode ocorrer hipotensão sintomáticaem alguns pacientes. Isto foi raramenteobservado em pacientes hipertensossem complicações, mas é mais provávelna presença de desequilíbrio hidroeletrolítico,como depleção de volume,hiponatremia, alcalose hipoclorêmica,hipomagnesemia ou hipocalemia, quepodem ocorrer devido ao tratamento anteriorcom diurético, restrição dietética desal, diálise ou durante diarréia ou vômitointercorrentes.A determinação periódica de eletrólitosséricos deve ser realizada a intervalosadequados em tais pacientes. Deve-sedar especial atenção ao tratamento administradoa pacientes com cardiopatiaisquêmica ou doença cerebrovascular,pois a queda excessiva da pressão arterialpoderia resultar em infarto do miocárdioou acidente vascular cerebral.Se ocorrer hipotensão, o paciente deveser colocado em posição supina e, se necessário,deve receber infusão intravenosade soro fisiológico. Uma respostahipotensiva transitória não é contra-indicaçãopara novas doses. Após a restauraçãodo volume sanguíneo efetivo e dapressão arterial, a reinstituição do tratamentocom doses reduzidas pode serpossível, ou um de seus componentespode ser utilizado isoladamente de formaadequada.

Uso Na Gravidez
Categoria de risco na gravidez: C (1ºtrimestre) e D (2º e 3º trimestres).O uso de lisinopril + hidroclorotiazida durantea gravidez não é recomendado.Quando a gravidez é detectada, lisinopril+ hidroclorotiazida deve ser descontinuadoassim que possível, a menos que sejaconsiderado vital para a mãe.Inibidores da ECA podem causar mortalidadee morbidade fetal e neonatal quandoadministrados a mulheres grávidas duranteo segundo e terceiro trimestres. O usode inibidores da ECA durante este períodotem sido associado a prejuízo neonatale fetal, incluindo hipotensão, insuficiênciarenal, hipercalemia e/ou hipoplasia cranianano recém-nascido.Oligohidrâmnio materno, presumivelmentedevido à insuficiência da função renaldo feto, tem ocorrido e pode resultar emcontratura dos membros, deformaçõescraniofaciais e desenvolvimento de pulmãohipoplástico. Estes efeitos adversospara o embrião e feto não parecem serresultado da exposição intra-uterina ao inibidorda ECA limitada ao primeiro trimestre.O uso rotineiro de diuréticos, para asmulheres grávidas saudáveis, não é recomendadoe expõe a mãe e o feto a riscosdesnecessários, incluindo icterícia, trombocitopeniae possivelmente outras reaçõesadversas que têm ocorrido em adultos.Se lisinopril + hidroclorotiazida for usadodurante a gravidez, a paciente deve serinformada do potencial de risco para ofeto. Em raros casos onde o uso durantea gravidez for considerado essencial,uma série de exames de ultra-som devemser realizados para avaliar o meiointra-amniótico. Se for detectado oligohidrâmnio,lisinopril + hidroclorotiazida deveser descontinuado, a menos que seja consideradovital para a mãe. Pacientes emédicos, entretanto, devem ficar atentosjá que o oligohidrâmnio pode não apareceraté depois que o feto tenha apresentadodanos irreversíveis. Crianças cujasmães tenham tomado lisinopril + hidroclorotiazidadevem ser rigorosamente observadasquanto à hipotensão, oligúria ehipercalemia. O lisinopril atravessa a placentae pode ser removido da circulaçãoneonatal por diálise peritonial com algunsbenefícios clínicos e, teoricamente, podeser removido por exsangüíneo transfusão.Não há experiência com a remoçãoda hidroclorotiazida, que também atravessaa placenta, da circulação neonatal.LactaçãoNão se sabe se o lisinopril é secretadono leite materno; todavia, as tiazidas sãodetectadas no leite materno. Devido aopotencial para reações graves da hidroclorotiazidaem lactentes, deve-se decidirentre descontinuar a lactação ou o usode lisinopril + hidroclorotiazida, levandoseem consideração a importância domedicamento para a mãe.

Interações Medicamentosas
Potássio sérico: O efeito da perda depotássio através dos diuréticos tiazídicosé geralmente atenuado pelo efeito preservadorde potássio do lisinopril. O uso desuplementos de potássio, agentes poupadoresde potássio ou substitutos do salcontendo potássio, especialmente em pacientescom comprometimento da funçãorenal, pode levar a aumento significativono potássio sérico.Se for julgado apropriado o uso concomitantede lisinopril + hidroclorotiazidacom qualquer desses agentes, eles devemser usados com cautela, e o potássiosérico freqüentemente controlado.Lítio: Geralmente, o lítio não deve seradministrado com diuréticos ou inibidoresda ECA. Os agentes diuréticos e inibidoresda ECA reduzem o ?clearance? renaldo lítio e adicionam um alto risco de toxicidade.Consultar as informações de prescriçãodas preparações contendo lítio,antes de usá-las.Outros agentes: A indometacina podediminuir a eficácia anti-hipertensiva daadministração conjunta de hidroclorotiazidae lisinopril. As tiazidas podem aumentara resposta à tubocurarina.Álcool, barbituratos ou narcóticos: Ouso associado com a hidroclorotiazida podepotencializar a hipotensão ortostática.Drogas antidiabéticas (agentes orais einsulinas): Pode ser necessário o ajusteda dose destes agentes com o uso associadocom lisinopril + hidroclorotiazida.Colestiraminas e resinas: A absorçãoda hidroclorotiazida é comprometida napresença de resinas trocadoras de ânions.Doses únicas de colestiramina ou resinasmascaram a hidroclorotiazida e reduzemsua absorção pelo trato gastrintestinal paramais de 85% e 43%, respectivamente.Corticoesteróides: O uso associadocom hidroclorotiazida intensifica a depleçãoeletrolítica, particularmente a hipocalemia.

Reações Adversas
O produto é geralmente bem tolerado. Em estudos clínicos, os efeitos colaterais foram geralmente discretos e transitórios e, na maioria das vezes, não requereram interrupção do tratamento. Os efeitos adversos observados limitaram-se àqueles anteriormente relatados com o lisinopril ou a hidroclorotiazida. O efeito colateral mais comum foi tontura, que geralmente respondeu a redução posológica e, raramente requereu suspensão do tratamento. Outros efeitos colaterais menos comuns foram: cefaléia, tosse seca, fadiga, hipotensão incluindo hipotensão ortostática. Ainda menos comuns, foram diarréia, náusea, vômito, pancreatite, boca seca, erupção cutânea, gota, palpitação, desconforto torácico, cãibras e fraqueza muscular, parestesia, astenia e impotência.Hipersensibilidade/Edema Angioneurótico: Edema angioneurótico da face, extremidades, lábios, língua, glote e/ou laringe foi raramente relatado (vide Precauções). Tem sido relatado um complexo de sintomas que pode incluir alguns ou todos citados a seguir: febre, vasculite, mialgia, artralgia/artrite, ANA positivo, hemossedimentação elevada, eosinofilia e leucocitose. Podem ocorrer ainda erupções cutâneas, fotossensibilidade e outras manifestações dermatológicas. Achados de exames laboratoriais: Os efeitos colaterais laboratoriais raramente foram de importância clínica. Ocasionalmente, observaram-se hiperglicemia, híperuricemia, e hiper ou hipocalemia. Comumente, ligeiros aumentos transitórios de nitrogênio ureico sangüíneo e de creatinina sérica foram notados em pacientes sem evidência de comprometimento renal preexistente. Se estes aumentos persistirem, geralmente são reversíveis com a descontinuação do produto. Foram relatados freqüentemente pequenos decréscimos da hemoglobina e hematócrito freqüentemente em pacientes hipertensos tratados com o produto, raramente de importância clínica, a menos que outra causa de anemia coexistaRaramente ocorreram elevações de enzimas hepáticas e/ou bilirrubina sérica, mas sua relação causal com o produto não foi estabelecida. Outros efeitos colaterais relatados com os componentes individuais isolados e que podem ser considerados como potenciais com o uso do produto são: Hidroclorotiazida: Anorexia, irritação gástrica, constipação, icterícia (icterícia colestática intra-hepática), sialoadenite, vertigem, xantopsia, leucopenia, agranulocitose, trombocitopenia, anemia aplástica, anemia hemolítica, púrpura, fotossensibilidade, urticária, angeíte necrotizante (vasculite) (vasculite cutânea), febre, desconforto respiratório, incluindo pneumonite e edema pulmonar, reações anafiláticas, necrólise epidérmica tóxica, hiperglicemia, glicosuria, hiperuricemia, desequilíbrio eletrolítico, incluindo hiponatremia, espasmo muscular, inquietação, visão turva transitória, insuficiência renal, disfunção renal, nefrite intersticial.Lisinopril: Infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral possivelmente secundários a hipotensão excessiva em pacientes de alto risco (vide PRECAUÇÕES), taquicardia, dores abdominais, alterações de humor, urticária, diaforese, uremia, oliguria/anuria, disfunção renal, insuficiência renal aguda, hepatite hepato-celular ou colestática, icterícia, confusão mental, broncoespasmo, prurido, alopécia, depressão da medula óssea manifestada como anemia e/ou trombocitopenia e/ou leucopenia.

Superdosagem
Não há informação específica sobre o tratamentode superdose com lisinopril + hidroclorotiazida.O tratamento é sintomático e de suporte. O lisinopril+ hidroclorotiazida deve ser descontinuado,e o paciente deve ser observado cuidadosamente.As medidas sugeridas incluem induçãode vômitos e/ou lavagem gástrica, se a ingestãofor recente. As correções da desidratação, dodesequilíbrio eletrolítico e da hipotensão devemser feitas através das medidas usuais.Lisinopril: O sintoma mais provável da superdoseseria hipotensão, para a qual o tratamentousual deve ser infusão intravenosa de soro fisiológico.O lisinopril pode ser removido da circulaçãosanguínea geral por hemodiálise.Hidroclorotiazida: Os sinais e sintomas maiscomuns observados são os de depleção eletrolítica(hipocalemia, hipocloremia e hiponatremia)e desidratação resultante da diurese excessiva.Com a administração concomitante de digitálicos,a hipocalemia pode acentuar as arritmias cardíacas.

Características Farmacológicas
CaracterísticasO lisinopril é um pó cristalino, branco, possui pesomolecular de 441,52 e sua fórmula molecular éC21H31N3O5.2H2O. É solúvel em água, levementesolúvel em metanol e praticamente insolúvel emetanol.A hidroclorotiazida é um pó cristalino, branco,com um peso molecular de 297,74 e fórmulamolecular C7H8ClN3O4S2. É levemente solúvelem água, mas livremente solúvel em solução dehidróxido de sódio.O lisinopril + hidroclorotiazida é uma combinaçãode um inibidor da enzima de conversão da angiotensina(lisinopril) e um diurético (hidroclorotiazida).O lisinopril + hidroclorotiazida é altamenteefetivo no tratamento da hipertensão e o efeitoanti-hipertensivo é geralmente mantido por 24horas. Uma alta porcentagem dos pacientes comhipertensão responde mais satisfatoriamente aolisinopril + hidroclorotiazida que a qualquer umdos componentes administrados isoladamente.Propriedades FarmacodinâmicasLisinopril: É um inibidor da peptidil dipeptidase.Ele inibe a enzima conversora da angiotensina(ECA) que catalisa a conversão da angiotensinaI ao peptídeo vasoconstritor, angiotensina II.A angiotensina II estimula também a secreçãode aldosterona pelo córtex adrenal. A inibição daECA resulta em concentrações diminuídas deangiotensina II, as quais resultam em diminuiçãoda atividade vasopressora e redução da secreçãode aldosterona. A diminuição da aldosteronapode resultar em um aumento da concentraçãosérica de potássio. Acredita-se que o mecanismoCaracterísticasO lisinopril é um pó cristalino, branco, possui pesomolecular de 441,52 e sua fórmula molecular éC21H31N3O5.2H2O. É solúvel em água, levementesolúvel em metanol e praticamente insolúvel emetanol.A hidroclorotiazida é um pó cristalino, branco,com um peso molecular de 297,74 e fórmulamolecular C7H8ClN3O4S2. É levemente solúvelem água, mas livremente solúvel em solução dehidróxido de sódio.O lisinopril + hidroclorotiazida é uma combinaçãode um inibidor da enzima de conversão da angiotensina(lisinopril) e um diurético (hidroclorotiazida).O lisinopril + hidroclorotiazida é altamenteefetivo no tratamento da hipertensão e o efeitoanti-hipertensivo é geralmente mantido por 24horas. Uma alta porcentagem dos pacientes comhipertensão responde mais satisfatoriamente aolisinopril + hidroclorotiazida que a qualquer umdos componentes administrados isoladamente.Propriedades FarmacodinâmicasLisinopril: É um inibidor da peptidil dipeptidase.Ele inibe a enzima conversora da angiotensina(ECA) que catalisa a conversão da angiotensinaI ao peptídeo vasoconstritor, angiotensina II.A angiotensina II estimula também a secreçãode aldosterona pelo córtex adrenal. A inibição daECA resulta em concentrações diminuídas deangiotensina II, as quais resultam em diminuiçãoda atividade vasopressora e redução da secreçãode aldosterona. A diminuição da aldosteronapode resultar em um aumento da concentraçãosérica de potássio. Acredita-se que o mecanismopelo qual o lisinopril diminui a pressão arterialé principalmente a supressão do sistema reninaangiotensina-aldosterona. Apesar disso, o lisinopriltem demonstrado ser anti-hipertensivomesmo em pacientes hipertensos com baixa renina.A ECA é idêntica à cininase II, enzima quedegrada a bradicinina. Ainda não está elucidadose níveis aumentados de bradicinina, um potentepeptídeo vasodilatador, exercem papel importantesobre os efeitos terapêuticos do lisinopril.Hidroclorotiazida: Diurético e anti-hipertensivo,atua sobre o túbulo renal distal, aumenta a excreçãode sódio e cloretos em porções semelhantes,e a natrivrese pode ser acompanhada de algumaperda de potássio e bicarbonato.Propriedades FarmacocinéticasLisinopril: Após administração oral de lisinopril,as concentrações plasmáticas de pico ocorremem 7 horas, apesar de haver tendência a umpequeno retardo nesse tempo em pacientes cominfarto agudo do miocárdio. Em doses múltiplas,o lisinopril possui uma meia-vida efetiva de acúmulode 12,6 horas.O declínio das concentrações séricas exibe umafase terminal prolongada que não contribui parao acúmulo de droga. Essa fase terminal provavelmenterepresenta ligações saturadas à ECAe não é proporcional à dose. Aparentemente, olisinopril não se liga às outras proteínas séricas.O lisinopril não é metabolizado e a droga absorvidaé excretada inteiramente inalterada na urina.A absorção de lisinopril não é afetada pela presençade alimentos no trato gastrintestinal. Estudosem ratos indicam que o lisinopril poucoatravessa a barreira hematoencefálica.Hidroclorotiazida: Após a administração oral dehidroclorotiazida, a diurese inicia-se dentro de2 horas, atinge seu pico em cerca de 4 horas edura cerca de 6 a 12 horas. A hidroclorotiazidanão é metabolizada, sendo eliminada rapidamentepelos rins. Quando os níveis plasmáticosforam determinados durante 24 horas, a meiavidaplasmática variou entre 5,6 e 14,8 horas.50% a 70% da dose oral é eliminada inalteradadentro das 24 horas. A hidroclorotiazida cruza abarreira placentária, mas não a hematoencefálicae é excretada no leite materno. Alimentos diminuemos níveis séricos de hidroclorotiazida.

Uso em grupos de risco
Uso PediátricoPosologia e indicações para uso em criançasabaixo de 12 anos ainda não foramestabelecidas.Uso em Pacientes IdososEm estudos clínicos, a idade não afetoua tolerabilidade do lisinopril.

Armazenagem
Conservar emtemperatura ambiente (entre 15oC e 30oC). Protegerda luz e da umidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário