quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Glifage Xr 750 Mg 30 Cprs - Glifage xr

Use os links abaixo para mais informações do medicamento

Glifage Xr 750 Mg 30 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/glifage-xr-750-mg-30-cprs/14498/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/glifage-xr.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do

Glifage Xr 750 Mg 10 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/glifage-xr-750-mg-10-cprs/14534/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/glifage-xr.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do

Glifage Xr 500 Mg 30 Cprs
Ofertas do produto: www.maispreco.com/glifage-xr-500-mg-30-cprs/9914/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/glifage-xr.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do

Glifage Xr 1 Gr Al Plas X 10 Cpr
Ofertas do produto: www.maispreco.com/glifage-xr-1-gr-al-plas-x-10-cpr/31056/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/glifage-xr.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do

Glifage Xr 1 Gr Al Plas X 30 Cpr
Ofertas do produto: www.maispreco.com/glifage-xr-1-gr-al-plas-x-30-cpr/31057/remedios.do
Outras apresentações: www.maispreco.com/remedios/glifage-xr.do
Laboratório: www.maispreco.com/merck/149/laboratorio.do



Informações
Grupo farmacoterapêutico: antidiabético Mecanismo de ação: a metformina (dimetilbiguanida) é um agente antidiabético de uso oral, derivado da guanidina. Ao contrário das sulfamidas, a metformina não estimula a secreção de insulina, não tendo, por isso, ação hipoglicemiante em pessoas não-diabéticas. Em diabéticos, a metformina reduz a hiperglicemia, sem o risco de causar acidentes hipoglicêmicos, exceto em caso de jejum ou de associação com insulina ou sulfoniluréias. A metformina reduz a hiperglicemia através de: - aumento da sensibilidade periférica à insulina e da utilização celular da glicose; - inibição da gliconeogênese hepática; - retardo na absorção intestinal da glicose. A ação periférica da metformina sobre a resistência à insulina está associada com possível ação pósreceptora, independente da melhora na ligação da insulina com os receptores insulínicos. Além de sua ação antidiabética, a metformina tem, no homem, efeito protetor sobre os fatores de risco de angiopatia, diretamente ou através de sua ação sobre a resistência à insulina. Isso foi evidenciado em estudos controlados de média ou longa duração, com doses terapêuticas: - Sobre o metabolismo lipoprotéico: a metformina reduz o colesterol e os triglicerídios, assim como as frações de lipoproteínas VLDL e LDL e a apolipoproteína B; aumenta a fração HDL e a apolipoproteína A. Melhora, portanto, a relação HDL/colesterol total. - Sobre a fibrinólise: melhora a hipofibrinólise associada com a resistência à insulina na obesidade e no diabetes. - Sobre a agregação plaquetária e a sensibilidade ao ADP e ao colágeno. De acordo com o United Kingdom Prospective Diabetes Study (UKPDS), estudo multicêntrico, randomizado, que acompanhou per cerca de 10 anos, mais de 7000 pacientes submetidos a diversos tratamentos para controle do diabetes de Tipo 2, a metformina reduziu, de maneira significativa, as complicações e mortalidade associadas com a doença.

Indicações
Como agente antidiabético, associado ao regime alimentar, para o tratamento de: - Diabetes do tipo 2, não dependente de insulina (diabetes da maturidade, diabetes do obeso, diabetes em adultos de peso normal), isoladamente ou complementando a ação de outros antidiabéticos (como as sulfoniluréias); - Diabetes do tipo 1, dependente de insulina: como complemento da insulinoterapia em casos de diabetes instável ou insulino-resistente (ver Precauções e Advertências). Também indicado na Síndrome dos Ovários Policísticos (Síndrome de Stein-Leventhal).

Contra Indicações
A metformina está contra-indicada em caso de: - Gravidez e lactação; - Insuficiência renal orgânica ou funcional (clearance de creatinina menor que 60 ml/min); - Insuficiência cardíaca congestiva necessitando tratamento medicamentoso, infarto agudo do miocárdio; - Patologias agudas comportando risco de alteração da função renal: desidratação (diarréias, vômitos), febre, estados infecciosos e/ou hipóxicos graves (choque, septicemia, infecção urinária, pneumopatia); - Insuficiência hepatocelular, intoxicação alcoólica aguda, alcoolismo crônico; - Descompensação ceto-acidótica, pré-coma diabético; - Reconhecida hipersensibilidade a qualquer um dos componentes dos produtos.

Uso Na Gravidez
Este medicamento não deve ser usado durante a gravidez e amamentação.

Interações Medicamentosas
Certos agentes hiperglicemiantes (corticoesteróides, diuréticos tiazídicos, contraceptivos orais fenotiazinas, agentes simpaticomiméticos do tipo ß2, tetracosactida, danazol, estrogenos, hormonios tireoidianos, fenitoina, ácido nicotínico, bloqueadores de canal de cálcio e isoaniazida) podem alterar o curso do diabetes e tornar necessário aumento da dose de metformina ou sua combinação com sulfoniluréias hipoglicemiantes ou terapia com insulina. Os inibidores da ECA podem reduzir a glicemia, tornando necessários reajustes posológicos. Os diuréticos, especialmente os de alça, podem ocasionar falência renal, levando a acúmulo de metformina e risco, embora raro, de acidose láctica. Igualmente pode ocorrer falência renal com acúmulo de metformina e risco de acidose láctica em decorrência da utilização intravascular de contrastes iodados, por isso a necessidade de suspender uso 48 horas antes do exame contrastado. A metformina, usada isoladamente, raramente ocasiona hipoglicemia. Entretanto, é necessário estar atento à potencialização de ação, quando é administrada em associação com insulina ou sulfoniluréias. Os medicamentos listados a seguir podem interagir com a metformina: furosemida, amilorida, tiazida, cimetidina, nifedipino, digoxina, morfina, procainamida, quinidina, quinino, ranitidina, triamtereno, trimetropina, vancomicina, contraceptivos estrógenos, estrogênios, isoniazida, niacina, fenotiazina, fenitoína, agentes simpaticomiméticos, hormônios tireoideanos, clofibrato, inibidores da monoaminooxidase, probenecida, propranolol, rifabutina, rifampicina, salicilatos, sulfonamidas, sulfoniluréias.

Posologia
Glifage xr 500 mg A dose terapêutica inicial é de 1 comprimido uma vez ao dia no jantar. Conforme a necessidade, a dose será aumentada, a cada duas semanas, de um comprimido, até chegar ao máximo de 4 comprimidos, equivalentes a 2,0 g de metformina (sempre no jantar). Em pacientes que já fazem uso de metformina, a dose inicial de Glifage xr deve ser equivalente à dose diária total de Glifage. Se o controle glicêmico não for alcançado com a dose máxima diária uma vez ao dia, a mesma dose pode ser considerada, mas dividida ao longo do dia de acordo com o seguinte esquema: Glifage xr 500 mg - 2 comprimidos durante o café da manhã e 2 comprimidos durante o jantar. Pacientes diabéticos do tipo 2 (não-dependentes de insulina) A metformina pode ser usada isoladamente ou em combinação com sulfoniluréias hipoglicemiantes. Se a metformina for usada em substituição ao tratamento com outros hipoglicemiantes orais (exceto a clorpropamida), a troca pode ser feita imediatamente. Não há necessidade de redução prévia das doses do hipoglicemiante oral, nem de intervalo de tempo entre o fim do tratamento com o hipoglicemiante oral e o início do tratamento com a metformina. Se o agente hipoglicemiante usado for a clorpropamida, na passagem para a metformina, durante duas semanas, deve-se estar atento à possibilidade de reações hipoglicêmicas, devido à retenção prolongada da clorpropamida no organismo. Pacientes diabéticos do tipo 1 (dependentes de insulina) A metformina nunca substitui a insulina em casos de diabetes dependentes de insulina. A associação de metformina pode, no entanto, permitir redução nas doses de insulina e obtenção de melhor estabilização da glicemia. Os resultados obtidos a partir da mensuração dos níveis de glicose no sangue capilar, permitirão estabelecer a dose adequada de insulina. Se a dose de insulina for menor que 40 unidades ao dia, a metformina é administrada na dose usual de dois comprimidos ao dia (um pela manhã e um à noite), aumentando-se para três comprimidos ao dia, se necessário. A dose de insulina é, simultaneamente, reduzida de 2 a 4 unidades a cada dois dias. Se a dose de insulina for maior que 40 unidades ao dia, é aconselhável hospitalizar o paciente para efetuar a combinação. A metformina é administrada na dose de dois comprimidos ao dia, aumentando-se para três comprimidos, se necessário. Simultaneamente, a dose diária de insulina é reduzida, a partir do primeiro dia, de 30 a 50%. Os valores da glicemia orientarão a diminuição progressiva ulterior das doses de insulina. Síndrome dos Ovários Policísticos A posologia é de, usualmente, 1000 a 1500 mg por dia (2 ou 3 comprimidos de Glifage xr 500 mg) em uma única tomada. Aconselha-se iniciar o tratamento com dose baixa (1 comprimido de 500 mg/dia) e aumentar gradualmente a dose (1 comprimido de 500 mg a cada semana) até atingir a posologia desejada.

Superdosagem
A segurança da metformina é amplamente assegurada, uma vez que hipoglicemias não têm sido relatadas com o uso de metformina em doses de até 85g (máximo preconizado de 2,55 g). Entretanto, nestas doses extremamente elevadas, chegando a 40 vezes à dose terapêutica, pode ocorrer acidose lática, a qual deve ser tratada em ambiente hospitalar, através de hemodiálise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário